Páginas

sábado, 14 de agosto de 2010

Apenas uma inspiração

Apenas uma Inspiração




Como Ícaro vai pelas suas asas, perigo
Em seu corpo escrevo minhas dores
Sem rimas levo minhas angustias e desamores
Ah, eu posso estar com você a qualquer instante
Mesmo quando não se fala comigo


Posso navegar pela madrugada fria
Do vento gelado que açoita meu corpo
Ali parado jogado num corredor falta calor
Apenas a espera de você que não vem
Ah poesia, me consola! Da vida vazia.

Ensina-me do amor estancar o fel
Que derrama nos lábios da doce amada
Mande seu mais lindo beija-flor
Planando em meus sonhos se arrastam lentamente
Permitam-me caricias suave, como seu bico na flor


E quando mais tarde meu corpo cansado
Não poder mais se aguentar, sucumbir
Vem pela manhã cubra meu corpo
Com todas as flores que lhe mandei em poesia.

Não derrames uma lágrima sequer
Deixe que meu corpo sinta apenas sua presença
Encosta sua face na minha gélida face, vou sorrir
E no sorriso sentirá a minha alegria de estar com você.
Assim um anjo querubim levará meu corpo


No mais lindo momento de subir.
Pelas asas da poesia.


Toninhobira


11/08/2010

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Tua alma

Tua alma me abraça...!

Da série comentários que me fascinam.


Ontem eu lhe perguntei
Onde você estava,
E se estava onde nasce o vento...
Você não me respondeu,
Mas agora já sei...
Você estava, onde sempre esteve

Aqui... Em meus pensamentos...

Tu me procuravas
Não me achavas
Eu estava namorando a lua à procura dos olhos teus
Vaguei pela fria madrugada de sereno
O vento soprava flocos brancos sobre os campos
Nas figuras desenhadas tua silueta avistei

Numa onda das águas colossais emergi de teus pensamentos

De ti esta lembrança aliada ao tempo
E cinco estrelas brilham na luz dos teus olhos.
E cinco letras cravam em teu coração
De uma emoção que sobrevive nos dias meus.

Quando penso nos versos teus.




Tenho tido a grata satisfação de receber comentários amáveis e belos e inspiráveis, e não tenho resistido à tentação de escrever sobre eles.


Este veio da amiga Suelzy Quinta.



Toninhobira


13/08/2010

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Serras de Catas Altas

Serras de Catas Altas em perigo.








A gente não entende onde a fúria da especulação quer parar.

Pasmem que uma empresa de mineração de nome Maybach vem causando um transtorno na vida dos moradores daquela pequena localidade de Catas Altas entre Santa Barbara e Mariana. O motivo é que a empresa, esta fazendo sondagens no sentido de explorar minerais nas serra que compõem o complexo histórico turístico de Caraças, mais precisamente na área das nascentes do rio Maquiné. Onde ainda se mantém o famoso convento do Caraça com seus capuchinhos e padres da Arquidiocese de Mariana. Serras não renascem homens de tratores, serras não gritam pelo socorro, mas sua mãe natureza dá resposta terrível em forma de catástrofe à comunidade.


Serra que é verdadeiro cartão postal daquela localidade, tendo como ilustração velhos casarões conservados em seu sopé mantendo a histórica imagem. Ameaça terrível às nascentes dos rios e às cachoeiras do lugar. Da exuberante fauna e flora, que meus olhos tanto se extasiaram em visitas.

Governo de Minas, onde anda sua autoridade e cultura? Como não intervir rapidamente, no sentido de frear estes loucos por pedras de minérios de ferro e outros. Não basta o que se fez com a Serra do Curral nas imediações de Belo Horizonte? Vejam autoridades o visual daquela serra pelada agredindo nossos olhos, onde verde se via hoje uma mancha de cor avermelhada, com poeira subindo e se espalhando por toda cidade e tingindo o céu anil de Belo Horizonte, até não mais poder ter o belo horizonte. Como senhor Governador? Até quando vamos assistir esta desenfreada corrida pelos minerais desta terra, sem nenhum critério?

A população se manifesta, faz atos e protestos enquanto as autoridades apenas se dizem incapazes de veto, alegando que fará uma rígida fiscalização, como se isto realmente ocorresse contra estas grandes empresas de mineração. Não autoridades, o povo não lhes colocou no trono para esta apatia, este cumprimento cego das vontades dos poderosos.

Fico a imaginar o stress o medo da família do Lobo Guará com as sucessivas explosões de dinamite na fúria louca da empresa, na extração fácil das jazidas. Com certeza sairão na busca desenfreada por lugar tranqüilo e temo que não mais exista este lugar pela região, depois da fúria da Vale. Será que vale autoridades, estes repasses que mais parecem esmolas, ou mesmo uma paga por algo quer sabe esta fazendo de errado? Amanhã quando nem serra, nem lobos, nem água, nem cachoeiras se puder ver, estes royalties poderão recompor esse estrago?



Meu grito a todos no sentido de acompanhar todo o processo, pois nossas serras não renascerão, nem os lobos preservados serão a sua atração daquele mosteiro incrustado entre serras da beleza do lugar. Hoje quando olho para as serras que os meus olhos tanto namoraram que meus olhos nunca alcançaram o topo, sinto esta angustia desvairada, em saber que o homem, não tem mais limites para com a natureza, que o homem, não pensa num mundo melhor para os que chegam. Que o progresso que eles pregam para a região é mesmo o fio da navalha, a corda esticada sobre o abismo.

Povo simples, humilde, povo pobre que sonha com vida material melhor, que é enganado em sua simplicidade apenas para atender o capital. Eu penso, eu sofro, será que o capital vence mais esta maquiavélica batalha?


Pois é meu lobo Guará, o melhor a fazer é juntar todas suas tralhas e fugir, quem sabe para o Pico do Itambé, antes que do seu coro façam tapetes para expor em uma sala de uma empresa que representou seu fim.





Oh, Minas Tão Gerais!



"Só quando a última árvore for derrubada, o último peixe for morto e o último rio for poluído é que o homem perceberá que não pode comer dinheiro." (Provérbio Indígena)


Baseado em relatos sobre pedido de exploração de minerais naquela região.
Toninhobira
10/08/2010.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

No meu Jardim

No meu jardim.



Pela manha planto flores
Rego, cuido, faço corte, faço amor
No meu jardim cresce a linda flor
E meus dias são de mais amores


A flor que colore minha saudade
Que em canto livra-me da maldade
Baila ao sabor do vento do beija-flor
Entrega-se plácida ao amor cuitelinho


Flores que me dão vidas
Flores vivas sentem no toque o carinho
E libera de suas entranhas sua deliciosa doçura
Que na minh'alma cala em ternura.

Toninhobira

09/08/2010