Páginas

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Ainda uma criança

Eu ainda sou criança...
















Itabira chuva castigava a cidade
Enxurradas nas ruas eram rios
Olhando a chuva olhos de saudade
De papel nossos pequenos navios.

Olhando a chuva a emoção acelerada
Nos olhos imagem do navio a bandeira
Naquele momento a criança recriada
Água de um tubo era uma cachoeira

Cena pluvial com adultos brincando
Ativa cachoeira se banha em algazarra
 Lado vivo criança ali aflorando

Observa saudoso na chuva se lança
A chuva fria retira do rosto as amarras
Naquele momento homem é criança.


Inspirado numa cena real, quando um amigo muito especial (Tão) que com deficiência de locomoção, fora carregado por familiares e assim colocado na chuva, se sentiu uma criança debaixo daquela chuva que parecia lhe trazer toda saudade da infância.
E eu morrendo de inveja de me lançar naquela chuva.



Credito da Imagem : Google chuva no Rio de Janeiro.

Toninhobira.
18/05/2010.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Paixão

Paixão é carregar este desejo de amar
Na luta frenética sem freios nos sentimentos
Insaciável em ver e não poder tocar
Sentir o seu perfume e viver este tormento.

 

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Pedreiro em Construção

Da pedra a missão.


 




Do pó se fez terra
Da terra um torrão se fez pedra
Nasce mais um homem da construção

Foi um sopro divino
Úmido incidindo sobre as mãos
Desta pedra se fez o pedreiro numa benção  
Nascia o mestre em construção
  Que fez no sublime amor o altar de seu coração.

São seres apaixonados na arte da transformação
Na criação desenhos seqüenciais da lógica
 De sua vida que é apenas ilusão.
Vivem como pássaros que avançam na imensidão
                             Equilibrista da vida de exploração              

Colorem os céus de nossas cidades com emoção
Do suor que escorre se mistura o sangue
Que sustenta a triste situação
É a vida deste homem
Que vive no barracão.

Quando chega o fim do dia se retira cansado
Olha as estrelas que despontam no céu
 Com promessas, novas conquistas
O pedreiro sonha, pensa e adormece
Com a mulher companheira.



Visões da minha janela.  
Destes profissionais que se esmeram para embelezar as cidades mesmo sabendo da não valorização.


Imagem Google

Toninhobira 13/10/2010.