Páginas

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pássaro proibido.


Série natureza vista com emoção.








 Credito imagem Google.






Passarinho vive triste sem vontade de cantar
Perversidade cortou lhe as asas ficou quietinho
 Vejo triste ali sozinho uma vontade de chorar
Pois sei que o quê desta tristeza passarinho.

 Naquela manha que em toda mata se ouviu
Quando passarinho revelou sua sina cativeira
Com um canto tao triste que sua mãe não resistiu
O sabiá quando ouviu voou mais alto na laranjeira

Assum Preto solidário voou rasante em direção
Pois sabia que passarinho tinha a frente sua sorte
Passarinho pulou alegre e ciscou com emoção

Naquele instante de angustia lhe restou uma esperança
Os caçadores assustados fugiram do vil esporte
Naquele dia, na verde mata era fim da matança.

 *******************************************************************



Lição:
Somos como pássaros, não cortem nossas asas, pois a vida perde sentido.
Há que se ter liberdade de voar e alcançar arvore e campos floridos.
Não interrompa meu vôo, pois no bico levo alimentos para meus filhotinhos.
Não cale meu canto, pois com ele faço festa na sua manhã.


Postado no Recanto das Letras com modificações.


Toninhobira
28/10/10

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

MOÇA BONITA



 
 Moça bonita que me inspira e fascina
Tem o cheiro de mato do capim verde limão
mãos suave toque que  me desatina
lábios vermelhada me beijam na paixão

Moça bonita, que me seduz
Com suas vestes finas e transparentes
quando ela anda tudo aquilo reluz
no meu corpo desejos provocantes

Moça bonita que meus olhos vigiam
Como um jardineiro na especialidade
Pelas ruas, enfeitadas da cidade

Moça bonita que meus olhos anuviam
Encanta todos sua pura beleza
Ah, como eu queria dela a gentileza. 




Credito de imagem Google.

 
Publicado no Recanto das Letras

Toninhobira
27/10/2010

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Desejo de amar III


















Amanheceu.
O dia se arrastava lentamente na sua confusa cabeça
Ela vive a emoção do reencontro.
Espalha cheiro pela casa, acende incenso e se perfuma
Tudo ali cheirava o amor.

Naquele dia, naquela rua ele surgiu como de um sonho
Desceu como um infante no seu lindo traje
Instantes confusos de nervosismo entre medo e êxtase
Corpos incendiados atração ardente atraídos
Olhos fixos vibrantes mãos nervosas se entrelaçam.

Por instantes ficaram ali perdidos nas suas lembranças
Por instantes reviveram todo um tempo de distancia
Olhares furtivos respirações ofegantes
Bocas ávidas, úmidas, pernas vacilantes, cheiro de amor

Momentos que sonharam, desenharam e desejaram
Corpos se tocam e apenas um grito se ouviu
E o que se sabe que nada aconteceu
A donzela nunca mais na janela apareceu.
E aquele infante num vento desapareceu.



Credito de imagem Google.


Toninhobira
26/10/2010.

domingo, 24 de outubro de 2010

Viajando pelo mar

Vou pelo mar.



Deixo meus pensamentos navegarem por este mar
Sigo nestas ondas no sobe e desce sem fim
Deixo que elas me levem sem rumo
Sem destino para longe de você
Perdi o leme desta nau

Nas suas águas se misturam com o meu pranto
Que emociona todos os ventos que cantam
Na desventura do coração aflito
Segue esta barca dos amantes
Pelo infinito mar.

Leve brisa que toca meu rosto nesta tarde
Como toque suave de mãos perfumadas
Fria refrigera meu corpo neste torpor
Com respingos da água que arde
Lava as feridas abertas

Sinto o sal estampando em meu rosto
Mistura de lagrimas que escorrem
Deixa na minha boca este gosto
Salgado de uma saudade
Que você deixou aqui

A noite vem chegando o céu iluminado
As estrelas luzem são mais lindas
Na frente um imenso espelho
Com a luz bela sublime
Da proa dourada

Então me deixo por navegar a bolina
Como a fazer explodir a saudade
Que liberte deste louco amor
Que na difícil arte de amar
Apenas deixou esta dor.


Imagem do Google.


Inspirado na musica Corsário, cantor mineiro João Bosco da MPB.

Toninhobira
23/10/2010.