Páginas

sábado, 8 de janeiro de 2011

Aos olhos de minha mãe.










Imagem Google.






Aos olhos de minha mãe.

Numa rede junto à janela
Ouço minha mãe cantar
Canto que embala e vela
Menino na rede a sonhar

Seus olhos viajam na canção
Canto de (e)ternas lembranças
Da vida ornada de pura emoção
Nas minhas somente andanças

Cada cantiga fala de saudade
 Reescreve sua vida
A minha, copia a realidade

Passos lentos, mas nunca vencida.
Vida total pela caridade
A minha, correria de partida.





Toninhobira
14/06/2010

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Alvorecer da Paixão












Nasce com o desejo de amar loucamente.
Na luta frenética que não limita os sentimentos
Insaciável somente em vê-la
Não toca seus cabelos nem sente de perto seu cheiro

Sempre penso que a falta é suportável
Olhar em volta sentindo a solidão
Assim vive-se o frisson de amar esta mulher
Muitas vezes se trai perdido com ela nos olhos

Os braços buscam no vazio, não há corpo, apenas ilusão.
Tem-se a certeza, de que a vida a colocaria na sua frente
Espera como um menino seu presente de Natal
E se acaba na noite fria com ela em sua mente.

Amargurado, triste passam os dias, anos e a vida
O que era chama, fogo se desfaz e vem esta paixão
Como vulcão e lhe toma o coração.

Atr/2009