Páginas

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Amor que não pode querer II.





 





Imagem Google.




Amor que não pode quererII.

O querer de amar alucinado
Que num facho de luz colorido
Brilha nos olhos do apaixonado
E morre num lago esquecido

Viver o amor dos desesperados
Sem limites e sem barreiras
Vaza pelos poros, olhos molhados
Que mais parecem cachoeiras

Amar assim pela mente
No sonho que se eterniza
Como uma morte lentamente

Cuida-te do amor como da rosa
Na verdade que se profetiza
Amar é mesmo coisa perigosa. 






Observação 1 :
Uma reedição do texto que completa um ano de Recanto das Letras em 20/01/2011.

A todos vocês, meu muito obrigado de todo coração, com meu terno abraço de paz e meu beijo de luz em cada coração.
Eu vou seguindo por vocês com vocês.

Observação 2:
Isto acima é só poesia, amar é lindo e pode dar certo, rsrs. Creio.

Toninho
20/01/2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

Noite Traiçoeira


Desejo de amar IV














Imagem Google





A lingerie que ele não viu
Do beijo que não recebeu ficou o desgosto.
Da noite sem fim que seu corpo seduziu.
Carregou os seus sonhos pesados perdidos
Nos degraus desta escada da vida sem fim.

O desejo que lhe deixa angustiado
Ansiedade no perfume a se embriagar
Leva os desejos e sonhos impossíveis
Adormecidos nas meninas dos seus olhos
Onde você repousava sempre a induzir

Ah, este desejo que aplaca e trás desvairanças,
Que nas noites se avolumam num eterno sonhar
E deixa no corpo reinventada arte de amar
Quando na mente apenas estas boas lembranças

E foi assim que em cavaleiro negro se vestiu
E vagou pelos becos vazios no seu alazão
Na sua desilusão tocava e cantava sua dor
Naquela noite sem fim que o amor lhe fugiu.

Toninhobira
16/01/2011.