Páginas

sábado, 7 de maio de 2011

Brincando com os nomes de blogs das mães.


 
Homenagem às mamães blogueiras.


Será que fui eu?
Apenas sei que me vi pelo Lado Avesso “mais angustiado que um goleiro na hora do gol,” assim tipo Stanislaw Ponte Preta no samba do Crioulo doido, era assim a agonia para homenagear as mães Falando de Amor. Nesta ousadia inicio minha homenagem às mães que sigo, com nomes dos blogs em negrito. Movido de prazer e alegria assim Uni-versos neste exercício emaranhado de encanto da poesia.

Passeando pelo Cotidiano, na trilha dos Caminhos da Vi. Estive em belos Happy Hours onde encontrei a linda canção de amor e de esperanças que me fazem tão bem, quando penso nestas mães.

Sai Fuxicando as Letras no meu armário mental, Abrindo as Gavetas do Coração para encontrar a bela poesia de coração e alma. Simplesmente Rejane veio em socorro da perfeição com Pensando em Família e todas as coisas boas, que alegram e orientam nossos passos para uma harmoniosa relação.

Então compreendi que Viver é Afinar os Instrumentos da alma e do coração para um fundo musical à altura, porém havia um Lamento de minha Alma, que não me deixava entender a Sutileza da Alma e da Mente onde adicionar Apenas Um Cadinho de Poesia e viver minhas Eternas Lembranças.

Pensei em Construir, Compreender e Evoluir os versos mais belos e singelos. Subi e desci os 7 Degraus algumas vezes, e passei pelas mais lindas Sensações com Emoções, onde encontrei a rara Flor de Lótus e a Flor da Vida em simetria perfeita para ofertar a cada mamãe, numa caixa de Mosaikos no uso das técnicas Art. Su, tudo isto sob Olhares e Saberes admirados de tudo aquilo que Cintila em mim.

Estava árdua a tarefa, pois as mães já são um poema em vida sempre recitado por seus rebentos. Assim penso e Logo Escrevo uma trova no maior Freedom de minha inspiração. Assim fiz A Viagem para A Bahia de Outrora para entender que Recordar Faz Bem para viver belamente um Amor Acordado atado nos mais belos Laços do Pensamento. Não deixei para trás as Crianças Felizes Demais ofertando a elas o mais Dolce Algodão. Ai deu se a maior algazarra com elas Chutando Balde como bolas pelos Caminhos da Vida, na maior Conversa Fiada que criança adora quando juntas reunidas.

Não poderia deixar de passar pela Cozinha da Tia Amélia e apanhar umas Coisinhas da Chica, para adoçar o dia e assim diante da Vitrine de Prata vi uns Candelabros em forma de Cristal de uma Mulher verdadeiros encantos, assim como Escritos na Linguagem do Corpo pelo Caminho de Luz, onde inspirei em Cartas de Amor a falar coisas de minha vida, para Compartilhar e Aprender a amar como uma mãe é capaz infinitamente como a santa A Preciosa Maria de Nazaré, na pureza das Memórias de uma simples Maria, mãe de Deus para receber seu filho descido de uma cruz. E seguir a divulgar belas Mensagens de paz amor e fé.

Nesta bela jornada convidei Ad litteram com sua magia de poesia diferenciada no jogo de palavras. Bem como trouxe a Catia Bosso e suas Poesias, usei fotos das Aves do Brasil em Haikai, para fazer um cartão ecológico. Visitei o magnífico Cafofo on line para receber uma bela flor exótica da arte nipônica coisa da Hana com sua Paz Amor e Harmonia, que me ofereceu Ervas e Aromas a serem usadas na festa, com tudo feito naturalmente em Panelinha de Barro.
 
A festa estava bonita, quando vi chegar Marina Morena Gentile sorridente ,Luconi com sua simpatia falando com Miriam Sales sobre a relação Umbanda e Religião e que a Jana Cruz Esferografia ouvia atentamente. Veio a Mel protegida por um anjo com a Magia da Inês, que dialogava na varanda com Marisa Matos. Também presente a Mislene Lopes na conversa poética com a Lianatins, que pelo semblante falava de Emoções e solidão, estas coisas do coração. No final as mães estavam em volta da ONG Alerta numa homenagem carinhosa entre elas e assim mais Emoções no dia que se fez o mais lindo dos dias de Maio.

Era o dia das mães neste imenso Brasil.


Feliz dia mamães!
Que visitam minha pagina blogueiras ou não.
Com meu carinho um beijo no coração.
Obrigado mamães!

Os amigos levem este carinho às esposas e ou mães. 

Caso tenha esquecido algum blog,saiba que o carinho é o mesmo sinta-se homenageada.


Toninho
06/05/2011

Creditos das imagens Google.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Dissidencia de um Itabirano.










 Imagem propria.




 
Uma terna idade vivi lá em Itabira
Independente da vontade nasci ali.
Hoje estou um alegre baianeiro.


Cem por cento negro sem o pó do minério de ferro.
Vinte por cento feito deste sol que me queima a pele.
E esta solidariedade que me acompanha
É pura herança que favorece nesta confusão

A vontade de nadar que tira a vonta de trabalhar
Vem das lembranças de Itabira,sem praia sem sol
Sem  um Por do sol sobre o mar a inspirar  nem das moças do lugar,
que se exibiam nas janelas com flores amarelas nos cabelos.
A minha amarga herança itabirana.

De itabira trago algumas lembranças em formas de presentes
Este pedaço de  pedra de uma serra que nao mais existe.
Este passaro empalhado que vivia no meu quintal
O lambari fosseificado da fonte Agua Santa hoje poluída e feia.
Não tive nada naquela cidade,nem dinheiro nem amores

Hoje sou um simples engenheiro
Saudado como um bom baianeiro.
Ita bira é aquela foto ali naquela parede
Que namoro e que não dói
Mas vejo que vem a maldita traça.

Será que corroi?





@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Em tempo vejam como foi bem o Jose Claudio Cacá nesta coisa de saudade em forma de confidencias:

http://uaimundo.blogspot.com/2008/05/confidncias-genticas-de-um-itabirano.html

Apenas um exercicio  parafraseando em pobre parodia com  a obra  Confidencias de um Itabirano” de Carlos Drummond de Andrade.

Mas eu amo a minha Itabira  e minha Minas tão Gerais uai, acima de todas as cidades, antes que os itabiranos de plantão torçam o nariz sobre mim.
Entendido, Cacá, Claudinor Pinheiro, Paulo Adão, Ines, Fatima e outros tantos itabiranos da blogosfera?


Toninho.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Quando o amor se ausenta






Imagem Google




Quando vejo teus olhos com este brilho
Outrora sombrios apagados na tristeza
Lembranças de noites assombradas no terror
De monstro devastando sono roubando sonhos
Suplicando a Deus morte serena, fim da dor.

Inexistia esperança uma sombra de vida
Restos de um ser sofrido alijado do amor
De lagrimas em olhos manchados na dor
Da ignorante força bruta da mão imunda

Busquei num frenesi as mais belas palavras
Adocicadas de carinhos renovando emoções
Como na divina arte de ressuscitar almas
Olhava teus olhos via o brilho da manhã

Não queria esta tristeza de outrora
Nem quero preocupar com o lá fora
Tão pouco o sorriso sem graça nesta face
Apena realce esta ternura agora

 Que faça de cada hora eterna felicidade
Que faça de um beijo explosão dos desejos
Que faça de cada palavra a magia da vida
Que refaça sonhos no encanto da renovação



Toninho
29/04/2011



domingo, 1 de maio de 2011

TRABALHADORES DO BRASIL








O Trabalhador.

A classe trabalhadora, que leva a mão na massa, massa esta que resulta na abastança da fúria indomável dos grandes empresários, incluindo aí os pequenos e até micros. Não se pode comemorar dia do trabalho, pois todos os dias serão dias de trabalho, da espoliação desregrada e avassaladora. Dias foram em que este dia se revestia de alegria e comemorações reais por todos os lados do mundo, não que os trabalhadores estivessem ali sendo respeitados em seus direitos, longe disso, mas naquele tempo em que ainda não havia criado esta desenfreada concorrência estimulada e incentivada pelas empresas em nome de que, pela produtividade se tem melhores salários. 

E ai caro leitor, deu no que deu esta coisa odiosa, que se vê entre companheiros de trabalho pisando e destruindo uns aos outros, no sentido de ser o melhor avaliado e assim ganhar um quinhão maior nas avaliações dos resultados. Estava decretada a lei do vale quanto pesa, não importando se no peso, envolvia a quebra da dignidade e todo sentimento de fraternidade.

Não dá para precisar o divisor destas águas que se turvaram, mas pode se perceber, que quando os trabalhadores passaram a ter uma consciência de sua força dentro da organização, passou-se a buscar além, muito além da pura sobrevivência e garantia de emprego, descobriu ou entendeu que tinha muito mais direitos, do que aqueles contracheques fingiam lhe agraciar. Tempo em que os trabalhadores, começaram a questionar a carga de sua jornada, cobrando cada gota de suor, que escorria pela sua face, salgando seus dias, suas vidas.

Neste tempo nossos sindicatos não eram lá estas coisas a nível de reivindicação, devido justamente as pressões exercidas pelos patrões sobre as entidades, com aquela força coercitiva de quem pode definir o destino dos dirigentes muitas vezes os colocando em ostracismo geral perante todas as empresas. Imperava a força e o medo.

Tempo em que passou a questionar as benesses do seu patrão, pois descobrira que tudo aquilo nada maias era, que fruto de seu sangue, derramado a cada hora, cada dia, cada ano gotejante pela louca e desumana busca de maior produção e maximização dos lucros. Trabalhadores começaram a questionar as condições de higiene, insalubridade, periculosidade em varias situações. E nessa luta foi se coletando vitorias em adicionais, que servem como compensação ás condições desfavoráveis a que estão submetidos, bem como lhes proporcionam uma diferenciada contagem para sua sonhada aposentadoria.  

Então, vamos comemorar carregando bandeiras estampadas com repulsas ás mais variadas formas de opressão. Manchadas com o suor daqueles que não organizados, ainda são espoliados e escravizados. Vamos de bandeiras multicoloridas com o sangue daqueles que sangraram na linha de frente das varias lutas por melhores condições de trabalho. Que nossas bandeiras ostentem a denuncia do vergonhoso, nojento trabalho escravo, que resistem em existir, principalmente nas famigeradas carvoarias e plantações de cana de açúcar. 

Vamos caminhando e cantando com as bandeiras tremulando, exigindo que todos os trabalhadores possam um dia comemorar a realidade de ver sua força empregada e compensada pelo justo salário e condições higiênicas favoráveis.


Então, uni-vos.

Publicado no Recanto das Letras 2010 e o pensamento em nada mudou..

Toninhobira.
01/05/2010.