Páginas

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Festa e solidão.















Imagem do Google


Festa e solidão



Lá no fundo ainda se podia ouvir a voz.
Era como uma musica silente para dormir.
Um choro fazia estranho dueto com a canção,
E o meu coração sentia mais vazio, que alegria.
Como pode nesta noite funda tanta melancolia?

A mim pareciam perdas de sonhos de menino,
Pois havia um frio, que invadia a alma era dor.
Vem com as lembranças tardias de uma cidade fria,
Onde vários se perderam pelo caminho das pedras.

Vidas que se apagaram em meio à maldade,
Maldade que tanto humilha e desgraça os lares.
Vidas que perderam o brilho, que se apagaram.
Agora o choro silencia e a canção é mais audível.

Há um lamento triste de uma perda profunda,
Que na minha alma deixa uma marca inaceitável,
A marca da paixão do amor de mãe em desespero
Marcas do ultimo beijo não dado no vazio da boca.

Sem adeus, sem o beijo, se cala na geleira da noite.
Os passos vacilam perdidos na busca inexistente,
Do colo da mãe que agora ficou mais distante
Na fusão da musica com a sirene, do corpo que cai.


Toninho.
01/09/2011.

É muito doloroso para uma mãe, reconhecer o corpo do filho, metralhado pela violência crescente entre os usuários de drogas.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Na cadencia da inspiração.













Imagem Google.





Parecia, que sabía daquele samba enredo,
Que ela dançava como uma dançarina.
Mas ser porta bandeira era o seu segredo,
Que alimentava os sonhos desta menina

Observava com os olhos fixos na avenida,
Na sintonia das batidas da afinada bateria.
Foi lindo encanto de fantasia em minha vida,
Que se emaranhou em sua bela coreografia.

Este encanto sensual num requebrar cadenciado,
Elevava os olhos ao Céu com alegria transbordante
Nos saltos, como plataforma em mar agitado
E seu sorriso era como um farol ao navegante.

Mas a menina que desfilou com tanta elegância,
Desapareceu como fumaça naquela dispersão,
Deixando meus versos órfãos nesta distancia,   
Como uma triste morte desta minha inspiração.


Toninho.
14/04/2011.

domingo, 28 de agosto de 2011

O amor está no ar.




 








Idi Amim
 Povoai a cidade do mais Belo Horizonte.


Assim,quando a primavera chegar com todas suas flores e cores e o perfume espalhar pelo ar, o amor estará solto na cidade do mais belo horizonte, mas será no zoológico da cidade, se assim confirmar o acasalamento do solteirão gorila Idi Amim com duas gorilas britânicas, que foram enviadas para aquela cidade neste Agosto. Espera-se que este clima de amor possa contaminar o bicho homem, que anda tão afastado deste sentimento, onde impera a violência, principalmente contra as mulheres.

Idi Amim é o único gorila em cativeiro na América do Sul, cativo no zoológico da cidade de Belo Horizonte desde 1975. Consta que ele tem 38 anos e solteirão e ostenta 2,60 metros de altura com peso aproximado de 200 quilos. O solitário Idi teve uma companheira a Dada falecida em no final dos anos 70 por uma infecção no ouvido. E deste então Idi Amim, passou estes longos anos na maior solidão e abstinência, que agora parece ter uma solução.

Como não convém que os homens vivam sós, a administração do zoológico, vinha buscando alternativa para encontrar uma companheira para o solteirão Idi e assim com apoio da Companhia Vale do Rio Doce encontraram duas solteironas gorilas, que poderão iniciar um processo de reprodução e assim preservar esta espécime. As solteironas assanhadas estarão em quarentena e assim após um processo de adaptação e aceitação deste solteirão. Idi Amim estará recriando seu Harém onde será supremo e insubstituível, sem concorrência amorosa.

Suas novas namoradas vieram da Inglaterra, com nomes de Inbi e Kifta, que fizeram a longa viagem de navio até a cidade de Santos e de lá seguiram via carretas, para serem celebradas e aclamadas na cidade de Belo Horizonte, com direito a faixas e cartazes no zoológico, como: “O amor está no ar” ou “Love is in the air”. Caso haja o perfeito acasalamento é sabido que estes gorilas receberão tratamentos de reis pela administração e pela população que já se arvora nas visitas para conhecer as novas moradoras daquele zoológico. 

Neste caso louva-se a ação da empresa mineradora em disponibilizar uma grande quantia pela preservação de uma espécie, o que vale como retorno de outras agressões que ela é responsável no processo de extração mineral por todo o Brasil.

O que espero, é que esta tentativa de acasalamento e reprodução destes gorilas possa ser um exemplo de incentivo de ações em prol da preservação da fauna e flora deste país tão devastada pelas empresas, principalmente as mineradoras e geradoras de eletricidade e também pelo próprio ser humano na sua sede insaciável de matar por matar.
*******************************************************
"Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhoram nem tomam em consideração as condições dos animais. "
(Abraham Lincoln)
********************************************************
Referencia:
Jornal Estado de Minas. Caderno Gerais.
IMAGEM DO JORNAL REFERIDO.
********************************************************
Enquanto isto outro tipo de amor está no ar, vejam na pagina da querida Beth Lilás no link abaixo



Toninho
22/08/2011.