Páginas

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Haikai





Canto tristonho.
Ventania no quintal_
Sabiá pousa.

Manhã chuvosa
Arvore solta ao vento _
Sábia do campo.

Filhotes piam.
Agosto muito frio _
Canta de Sabiá.

Sabiá voa.
Canto melodioso _
Grito de crianças.



 Toninho.
******************************************
Sempre majestoso Sabiá da praia ou do campo.

Inspirado na foto de meu amigo: josericardo.carmo 
de sua pagina no facebook foto feita no Aterro do Flamengo.

Se puder visite este outro espaço de postagem

Um bom e alegre fim de semana a todos.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O sapo Arlequim_blogagem coletiva da Anne.


A proposta da Anne para esta semana são os sapos, os quais eu tenho pavor deste criança, então escolhi para minha participação, criar um conto infantil com meus medos e superstições, usei personagens de minha admiração na blogosfera, que relacionam com crianças. Venha voce também falar, ilustrar sobre estes animais vejam aqui: menina-voadora.blogspot 
 

Curiosidade sobre sapo:
 “Diz uma antiga lenda peruana que os sapos que habitavam o Lago Titicaca tinham poderes mágicos. O rei Inca, filho do Deus Sol, viajava até o lago para ver o sapo mágico, e com o intuito de vê-lo de perto, jogava moedas de ouro dentro do lago. Caso a moeda caísse dentro da boca do sapo, este realizava um desejo do rei e o sapo virava ouro. Para honrar o sapo, o rei Inca construiu uma estátua dourada do grande sapo nos jardins de seu palácio.” Fonte Google.
O sapo Arlequim.


Pedrinho era um garoto muito curioso. Numa manhã ao ouvir sons fora da casa, saiu para o jardim e deparou com uma família de sapos na maior algazarra com brincadeiras de esconde-esconde e jogando bolas. Entre eles tinha um sapo, que se destacava aos olhos de Pedrinho, pela esperteza de enrolar os outros com acrobacias nos arbustos do jardim. Logo o chamou de Arlequim. Com seu celular fotografava e fazia filmes curtos, para enviar aos seus amiguinhos e sua avó Anne.

Pedrinho estava eufórico com aquela legião de sapos de barriga amarela. Logo começou enviar fotos, para os amigos via WHATSAPP, todos estavam curiosos, para entender tantos sapos no jardim da sua casa, no que ele dizia, que era por causa de uma plantinha que os atraía, mas que ele não sabia o nome, mas que vovó Anne estava pesquisando na internet. Claro que era mais uma baboseira de Pedrinho para tirar onda com seus amiguinhos.

Mas seu amiguinho Neno, neto de vovó Chica, respondeu a mensagem para o grupo assustando Pedrinho. Segundo Neno sua avó pesquisou no Google, que os sapos de papo amarelo quando assustados, se defendem com um jato de urina no rosto das pessoas e que esta pode cegar a pessoa. Nesta hora Pedrinho assustado, de olho arregalado correu para a casa, para questionar sua vovó. Porém levou um grande susto, ao ver o Sapo Arlequim pendurado na maçaneta da porta, com olhos vermelhos na sua direção. Pedrinho ficou estático sem saber se gritava por sua mãe ou por sua vovó Anne.


Pedrinho pensou em voltar lentamente, mas sentiu suas pernas bambas, foi afastando de marcha à ré devagarinho, mas tropeçou nos degraus da pequena escada, quando Arlequim ensaiou um pulo. Pedrinho gritou com toda força do pulmão e caiu de costas no jardim com todos os sapos em volta dele. Então sentiu seu corpo molhado e um cheiro de xixi, no momento que sua mãe chegava ao quarto aos berros, para acorda-lo para ir para a escola. 


Ele assustado deu um suspiro e perguntou à mãe, se na sua casa tinha alguma arvore que atraía sapos de papo amarelo, no que ela disse:
- Deixe de bobagem e vá logo se arrumar seu mijão na cama, pois já está muito atrasado para pegar o transporte para a escola. Que historia de sapo é esta? Acorda logo menino!


Assim que chegou à escola, correu para encontrar Neno, que chegava com vovó e perguntou à queima roupa, se ele ou sua Vó Chica sabiam alguma coisa sobre veneno de xixi de sapo. Mas o Neno numa gargalhada que chamou a atenção da turma no pátio, respondeu para alivio de Pedrinho:
- Eu não entendo patavinas de sapo Pedrinho nem minha vovó que detesta, de onde você tirou esta historia, você deve ter sonhado maluco!

Aliviado Pedrinho saiu saltitante para a fila de sua turma, para cantar o Hino Nacional, antes de entrar para a sala de aula, sob os olhos de curiosidades do Neno e da vó Chica.

Toninho.
23/08/2014
**************************************************
Vejam minha postagem no meu outro blog: delicadezas-de-deus
 
Confiram minha participação nesta  prosa: pensandoemfamilia.com.br  estamos falando de familia e seus ingredientes.