Páginas

sábado, 31 de outubro de 2015

Lá vem saudade!


Lá vem saudade!











Vem uma saudade desvairada,
assim como a rajada de vento,
às vezes entra pela madrugada,
arrasta as horas contra o tempo.

Quisera saber definir este vazio,
que tanto devora minha mente,
sinto na carne da navalha o fio,
que sangra e dilacera friamente.

Esta saudade vem como um lobo,
que faminto desconhece os medos,
seus olhos acesos pulam do globo,
saudades desvendam os segredos.

Para a saudade não há cirurgia,
que faça suavizar toda esta dor,   
vem impiedosa e sem anestesia,
quando se vive um grande amor.

Toninho
Outubro/2015

Tô aqui com outras inspirações: toninhobira.blogspot
************************************************************
Um bom feriadão para vocês.