Páginas

sábado, 22 de outubro de 2016

A moça dourada.




Quem é esta mulher que vive pela praia,
corre na areia e vem namorar o poente,
com corpo dourado oculto na minissaia?
Da minha trincheira a vi furtivamente.

Ela sempre cobre o teu rosto com o véu,
já sua pele resplandece no sol de verão.
Oculto meu olhar sob a aba do chapéu,
quando ela se vira para minha direção.

Mas quando cai a noite, ela reaparece
no farol como a deusa das águas azuis.
Um pescador solitário medra em prece,
à Iemanjá com sua manta lápis-lazúli.

Imóvel, eu observo a musa desaparecer,
sob as ondas numa pedra negra do mar,
sinto uma lagrima em meu rosto arder.
volto os olhos para o céu. É noite de luar.

Toninho

18/10/2016 

************************
Bom fim de 
semana.

domingo, 16 de outubro de 2016

Testemunha noturna.



Pensa nos momentos de euforia,
neste silencio que instala agora,
solidão vem como fera em fúria,
da rua vem um som de outrora.

A Canção de quem se angustia,
humilhado pela dor que aflora,
vaga a cantar pela noite vazia,
recolhe a viola diante a aurora.

A viola silencia na madrugada,
ouvem-se as noturnas criaturas,
com cantos piados na alvorada.

Quando o Sol inicia sua jornada,
livra-se de todas as amarguras.
Sorri para uma foto da amada.

Toninho.
10/10/2016

*********************************
Uma boa semana
paz e alegria.
******************