Páginas

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Sonho que se sonha só.





Eu vivo a sonhar crio fantasias.
Sonhos tristonhos de curtas asas,
para um voo feito pela ousadia,
de o louco querer que me abrasa.

Se não sabes desta minha solidão,
nem de meus anseios sufocantes,
que me induzem viver a emoção,
que lanço nos versos suplicantes.

A noite sabe destes meus sonhos,
que alimento meu triste coração,
já combalido adormece tristonho,
numa descompassada pulsação.

Dizem que os sonhos se realizam,
quando há unicidade dos desejos.
Mas é certo, que hoje evaporam,
sem vidas tão mortos que os vejo.

Toninho
19/11/2016


Da série Apenas uma inspiração.

Lendo por aí e recomendo: amor-e-sexo-no-envelhecer

***************************
*****************
*********
****
**
*