Páginas

domingo, 10 de dezembro de 2017

Entre espinhos e flores.
















Vejo uma mulher alegre pelo caminho,
vem com um canto suave enternecido,
que ecoa lindamente até os filhotinhos,
em ninhos à espera dos pais em alarido

É sempre assim nas tardes da floresta,
na despedida dos últimos raios solares,
sombra a deslizar da mulher modesta,
que faz lembrar aquelas de Palmares.

Mas esta vem na liberdade destemida,
nem olha para trás imune aos perigos,
junto dela duas razões desta sua vida.
Fez rotina sua visita diária ao jazigo.

Hoje já não vem com os olhos úmidos,
nem o rosto catando forças pelo chão,
superou sua dor pela perda do marido,
extirpou toda tristeza do seu coração.

Bem dita seja esta mulher que supera,
e reencontra sobre espinhos os passos.
Sangrar sua dor pela prole a tempera,
por certo Deus a acolhe no seu regaço.

Toninho
10/12/2017


Minha participação na 13ª imagem do projeto poetizando e encantando da Lourdes. Confira os participantes: filosofandonavidaproflourdes




sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

A verde infância.
















I
O tempo passou de verde se pintou
a saudosa casinha de sua infância.
Ali viveu feliz junto da natureza,
A foto na moldura é tudo que tem.

 II
Sozinha abandonada no seio da floresta,
o meu casebre à natureza incorporou.
Foi meu mundo verde na velha infância.
Então bateu uma saudade!

Toninho
08/12/2017

Inspiração na BC_#umaimagemem140caracteres projeto da Sexta-feira. Conheça e participe com a Mari e Silvana, aqui: devaneiosedesvarios



domingo, 3 de dezembro de 2017

Resgate da alegria.




Com rosas brancas fez a tua oferta,
que linda mãe Janaina aceitou feliz,
na praia purifica-se de alma aberta,
por um real amor como sempre quis.

Oh, Janaina cheia de beleza e magia,
Olhai com carinho para a tua filha,
maravilhada nas aguas, és euforia,
que tanto emocionou todos pela ilha.

Olhai as lindas fitas azuis e brancas.
assim como teu lindo chapéu florido,
que lhe cobria os cabelos em tranças,
pelos ventos da filha Iansã ora caído.

Eis tua ceia Janaina oferenda do dia,
com manjar branco, cocada e acaçá,
o presente de tua filha numa alegria.
assim no amor feliz e amada. Oxalá!

Toninho.
03/11/2017

Inspirado na imagem e no sincretismo religioso tão evidente em Salvador. Assim foi minha participação na BC_ poetizando e encantando da professora Lourdes aqui: filosofandonavidaproflourdes visite e participe.

Notas:

1- Janaína: um dos nomes de Iemanjá
2- Iansã: filha sensual de Iemanjá, que comanda os ventos. Reverenciada no dia 4 de Dezembro no catolicismo Santa Bárbara.
3- Acaçá: bolinho afro-baiano feito de arroz
4- Oxalá: expressão de vivo desejo 

*******************************
Uma feliz semana
Dezembro de paz
e luz.

domingo, 26 de novembro de 2017

Inacreditável Lótus.



Com grades de ferro fechou sua janela,
agora só pedras onde se via o canteiro,
morte à flor que enfeitava sua capela,
sentiu-se preso um pássaro em viveiro.

Ficaram as saudades ali aprisionadas,
sob pedras do rio a roseira esquecida.
Sem os raios solares morria desbotada.
belas rosas últimos respingos de vida.

Desesperou-se em ver sua flor murcha,
Sob pedras agonizava, que fim triste!
Na janela há ilusão, onde ora debruça,
desiludido vive-se sob o ato de enriste.

Na manhã seguinte aflora-se o sorriso,
pela vidraça vê uma borboleta a voar.
sobre a misteriosa flor como um aviso,
que a natureza agredida vem cobrar.

Vê renascer sob as pedras a flor linda,
alheia às condições das adversidades,
fez-se florir na Primavera que finda
uma inacreditável Lótus. É felicidade.

Toninho

26/11/2017

Minha participação no projeto: poetizando e encantando da professora Lourdes aos domingos. Conheça e participe e veja outros participantes. Siga o link: filosofandonavidaproflourdes


















**************************************
**************************
***********

sábado, 25 de novembro de 2017

Lucas o vigilante.


Botando cabeça para funcionar um projeto da Chica e seu neto Neno, para uma imagem escolhida e inspiração livre. Acontece todos os dias 5,15 e 25, conheça e participe aqui: chicabrincadepoesia. A imagem de hoje:


Conhecido como Lucas o vigilante aprendeu com os pais desde criança, que na vida é preciso ter coragem e garra para sobreviver. Cresceu junto aos pais naquele mangue, pisando na lama negra donde tiravam os mariscos e pescava no pequeno riacho o sustento da família e o excedente comercializava na pequena ilha.

Lucas aprendera a amar, defender e preservar aquele mangue, que lhes dava o suficiente para sobreviver. Assim que com seu pobre barco feito por eles patrulhava a região sem nenhum apoio de órgãos fiscais, que raramente passavam por lá para fiscalização somente no período do Defeso confiscando as redes e dispositivos de pesca dos infratores. E sempre elogiavam Lucas ao vê-lo naquele ambiente hostil na vigilância.

Lucas conhecia todos os caminhos do mangue, sempre admirava a semelhança com uma janela, as saídas para o mar, que ele dizia ser como uma porta para o Céu, onde sempre se benzia após navegar sob aquelas arvores negras retorcidas na águas escuras. Sempre se encantava com a beleza daquela imagem a sua frente.

Numa tarde ao sair de uma das portas do Céu, avistou  uma lancha bonita com pessoas bem vestidas, receoso e incomodado percebeu, que a lancha se dirigiu ao seu encontro e encostou junto ao seu pequeno barco. Era o diretor da fiscalização, que veio pessoalmente lhe comunicar que seria nomeado e remunerado como fiscal oficial do mangue, com oferta de um barco equipado. Deixou cair uma lagrima aos ser abraçado pelo diretor e fiscais.

Voltou feliz puxando seu novo barco ao passar por uma das portas do Céu, abriu os braços soltou um grito agradecendo ao Senhor, foi tão alto, que na ilha os pais ouviram assustados e viram quando ele se aproximava com um sorriso radiante, e amarrava dois barcos, sendo que um bem bonito parecido com o dos fiscais. Sem nada entender, correram para encontra-lo. Informados sobre a visita surpresa do diretor do Conselho de Proteção Ambiental, sorriram e ali ajoelhados e abraçados agradeceram aos Céus.

Toninho
25/11/2017

*****************************
*****************
*****

domingo, 19 de novembro de 2017

A calma.















Já os pássaros de regresso aos ninhos.
O sol com seus raios na colorida fusão,
afasta-se da cidade aos sons dos sinos.
Som da Ave Maria vem com emoção.

Ajoelha-se um simples e feliz cidadão,
silencia em reverencia ao espetáculo,
diante tanta beleza do Pai da criação,
no mágico instante vê-se no cenáculo.

De pé, abre os braços amplia a visão,
ao longe a cidade reflete-se nas cores,
agradecido entoa uma velha canção,
que aprendera para amenizar dores.

Calam os sinos silencio dos pássaros,
a buzina estridente estresse da noite.
com paciência segue leve seus passos,
ainda embevecido com todo o deleite.

Toninho.

19/11/2017

Inspiração para o projeto da  Professora Lourdes  de todos os domingos, com uma imagem para encantar e poetizar. Confira e participe.


************************
Feliz semana
na calma
para você

sábado, 18 de novembro de 2017

Clara a mente.















Tudo desabava à sua volta.
Lagrimas salgavam a face.
A solidão fechara seu coração.
Clara a mente encontrou a Luz
Era Jesus. Reagiu e renasceu.

Toninho

18/11/2017

Participação na BC_#umaimagemem140caracteres projeto de Mari e Silvana toda sexta-feira. 

*****************************
Bom domingo
e feliz semana.

domingo, 12 de novembro de 2017

Fogo da paixão.




O sangue acelera o corpo desespera,
a sensualidade faz o desejo de amar.
Há inquietude nesta noite de espera,
sorve do vinho angustia em celebrar.

Há cheiro de amor espalhado pelo ar,
das flores numa jarra vem o perfume.
No castiçal prata uma vela a clarear,
ao som do bolero no mínimo volume.

Som da campainha carrega emoção,
ela vestida de branco é pura doçura
descompassam as batidas do coração
a presença tão bela é viva escultura.

Envolvidos na noite cegos no querer.
as taças se beijam os corpos já febris,
a dança sensual explode o efervescer,
na vitrola agora a suave voz da Elis.

Na sala apenas a respiração ofegante,
entrelaçam mãos com beijos ardentes.
Então em sussurro erótico alucinante,
beijam-se sorvem o vinho lentamente.   

Toninho
12/11/2017
Inspiração para a BC_poetizando e encantando, projeto da Professora Lourdes de todos os domingos, confira e participe aqui: filosofandonavidaproflourdes

******************************
****************
******



domingo, 5 de novembro de 2017

Teimosa espera.


Poetizando encantando é um projeto da professora Lourdes de todos os domingos com uma imagem para poetizar e encantar. Confira aqui: filosofandonavidaproflourdes outros participantes.















Debaixo de uma arvore florida,
num banco minha longa espera.
Minha solidão freme como fera,
há incerteza desde a despedida.

Há flores adormecidas pelo chão,
onde um canário cisca a cantar,
é lenitivo na espera, faz acalmar
a ansiedade, carrega a desilusão,

Aquece-me teimosos raios solares,
e defloram a manhã primaveril,
sobre o chão fachos espetaculares.

Neste transe ouço suave assobio,
segue-se o tilintar de seus colares.
Sinto o perfume, vem-me arrepio.

Toninho
05/11/2017


***********************
Uma feliz
semana para 
você.

domingo, 29 de outubro de 2017

¹Cuitelinho sonhador.
















Queria dedicar-te a doce palavra,
tão linda como se fosse de oração,
com o brilho nos olhos de emoção.
como garimpeiro diante da lavra.
        
Sou o cuitelinho¹ que beijar a flor,
nos jardins floridos. É primavera,
estação que refaz minha quimera.
um beijo partido perdido de amor.

Na dança beija-flor há suavidade,
como o tocar a terra o jardineiro,
mãos que revolvem na suavidade.

Sinto-te como as caricias do oleiro,
o barro nas mãos na sensualidade.
Sou assim beija-flor no jasmineiro.      

Toninho
29/10/2017


Nota 1_ Cuitelinho é o outro nome do Beija-flor.

Minha participação no projeto Poetizando e encantando do blog filosofandonavidaproflourdes confira e participe.

***********************



terça-feira, 24 de outubro de 2017

Olhos de rubi.





















Eu te vi e estava linda no organdi,
ali enlacei teu corpo transparente,
os teus lábios tremiam docemente,
os toquei com suavidade do colibri.

Nossos corpos já confortavelmente
aninharam-se sob teu olhar de rubi.
Como lava básica ardi e apaixonei,
vivi no teu corpo um amor ardente.

Cada parte do teu corpo suspirava,
todos teus poros fluíam óleo sedutor,
o meu coração batia como aldrava.

Da janela veio o vento com frescor,
vi era a madrugada, eu alucinava.
Olhei-te. Como a pedra vê o escultor.

Toninho.

21/10/2017

***********************




domingo, 15 de outubro de 2017

Meu pote mágico.

















Tenho de minha mãe preciosa relíquia,
levo comigo pelo resto da minha vida,
pequenina relíquia um pote de alegria,
uma herança poderosa da mãe querida.

O pote é a criança que vem me abraça,
quando adultos me impõem dissabores,
naquele momento que o chão se afasta,
evaporam-se substancias multicolores.

Precisas substâncias da interiorização,
Forjam-me no aço, revitalizam meu ego.
Com corte certeiro dilacera a decepção,
quem vem como onda roubar o sossego.

Nunca esqueço num canto empoeirado,
o pote de alegria que me faz fortalecido.
Se o génio do mal surgir descontrolado,
abro o pote magico, faço-me destemido.

Toninho
10/10/2017
Confira no outro blog: familia-silva



Inspiração veio lá da Chica aqui http://lugarescoloridos.blogspot.com.br/2017/10/bc-raio-x-n-23.html  onde ela fala de um pote da alegria, que a defende do mau humor naqueles dias que tudo conspira para ser ruim.

*************************
Meus parabéns à todos
os professores 

Sugiro uma leitura nesta postagem http://pensandoemfamilia.com.br/blog/sobre-depressao/

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Partirás.















Um barco pela tarde é a inspiração,
no cais em total silencio adormecido.
sob a inércia iminente como prisão,
saboreia os ventos vive entorpecido.

Todo barco sabe os encantos do mar,
no singrar das aguas na imensidão.
Na noite escura só a lua a iluminar,
um argonauta solitário na desilusão.

Barco é a nostalgia que veio visitar,
com lembranças ainda que tardias,
viagens de outrora no azul do mar,
são emoções oxidadas pela maresia.

A noite cairá sobre o barco na praia,
enquanto eu nesta estranha emoção,
serei junto ao barco fiel companhia,
já o lume do farol ilumina a solidão.

Toninho
06/10/2017

Inspiração na foto gentilmente cedida por Piedade Araújo Sol, que sempre tem um olhar especial para o por do Sol de Portugal. Confiram no link olharemtonsdeflash

****************************
******************
*********