Páginas

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Parada da fé.





Todos os dias por aquele caminho via passar umas crianças pobres do lugarejo das Duas Pontes, seguiam felizes cantavam canções, que aprenderam com seus pais. Era um caminho de pedras soltas no sopé de uma serra, várias vezes cortado por um regato, onde troncos de madeira serviam como rudes pontes.

No meio destas crianças tinha uma menina, que se destacava pelas longas tranças douradas, era muito clara e franzina, parecia doente. Muitas vezes parava pelo caminho como a recuperar a respiração, mas sempre apoiada pelos amigos, conseguia vencer a distancia para chegar até à escolinha numa fazendinha, onde a filha do fazendeiro alfabetizava as crianças daquela região.

Um dia da margem do regato onde pescava, vi o grupo de crianças, seguiam silenciosas na rotineira caminhada de volta para suas casas. Intrigado e curioso gritei para saber da falta da menina, a de tranças longas. Um garoto me observou e olhou para o céu dizendo, que ela foi morar com Nossa Senhora. Fiquei mudo e emocionado e baixei os olhos.

Algum tempo passou, voltei àquele lugarejo como de costume, para dias de folga longe da cidade e junto à natureza, pois lá morava minha avó. Numa manhã de volta da pescaria, notei que havia uma gruta bonita junto a uma nascente onde as crianças paravam para beber água. Percebi uma linda imagem de uma santa com manto azul.

Em conversa com a avó, soube que ali num dia após forte temporal, várias pedras deslizaram da serra, no momento que as crianças passariam, mas que uma forte luz surgiu na frente deles e no meio da luz, a figura de uma menina de trança com braços abertos os impediu de seguir, justamente quando as pedras no caminho. Desde aquele dia as crianças colocaram aquela imagem de Nossa Senhora na gruta.

Agora os moradores do lugarejo passam pela gruta e se benzem. Outros levam a água em garrafinha, pois creem num milagre de Nossa Senhora a pedido da menina franzina de longas tranças douradas.  Já as crianças todos os dias param junto à gruta, cantam o que a menina mais gostava , depositam flores brancas. E seguem na feliz cantoria, pois acreditam piamente, que no céu alguém cuida delas com carinho.

Toninho
15/08/2017 

Inspiração para a BC_botando a cabeça para funcionar projeto da Chica nos dias 5, 15 e 25. Conheça e viaje na imagem aqui: chicabrincadepoesia





quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Saudades lá do mato



Eu canto com amor a saudade,
na mistura de coisas, de gente,
o cheiro de mato cá na cidade,
inebria-me de forma crescente. 

Trouxe as alegrias dos sonhos,
às vezes um medo incendiado,
em ouvir os contos medonhos,
mania de menino no povoado.

Eram noites à beira do fogão,
família reunida na harmonia.
Mingau fervia num caldeirão,
som de rádio é viva nostalgia.

A lembrança aqui transborda,
como a letra de samba enredo,
a emoção que sempre acorda,
é revelação de algum segredo.

Isto é o saudosismo, ora dirão,
que não se escode pelos versos,
nem entrelinhas no diapasão,
afinam esta saudade do berço.

Toninho
28/07/2017

*************************
Sempre grato com 
sua visita.
Um bom fim de semana

sábado, 5 de agosto de 2017

Depois da chuva



Fim de um temporal devastador,
águas pelas ruas como um riacho.
De minha janela como espectador
olho desolado, escapa-me o diacho.

Arvores caem sobre carros e fios.
cidade se desliga black-out geral.
Cenas reprisam os anos anteriores
revelam a inoperância municipal .

Ouço sirene ambulância em ação,
em sinfonia com o carro bombeiro,
são eles bravos anjos da salvação,
o perigoso jogo da vida pela vida.

ao longe uma fusão bela de cores
rouba-me o olhar com o arco-íris
viajo nas suas linhas multicolores
fuga da dor por um triz sou feliz.

Toninho

05/07/2017
Minha participação para a BC_botando a cabeça para funcionar projeto da Chica e seu neto Neno confira as inspirações chicabrincadepoesia

**************************
Grato.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Um trapo humano.





Desafio nº 121 com 77 palavras. Um projeto de Portugal em parceria coma a Radio SIM Crie uma historia.  http://77palavras.blogspot.com.br/ Conheça e participe. Crie uma historia sendo:

O início de 3 frases que aparecem no vosso texto está aqui, o resto é livre. 
Podem usá-las pela ordem que quiserem.

1-  Era a mim que...      
2_ Contudo, tu...        
3- Talvez não saibas...


Talvez não saibas, mas aquele homem na praça era pessoa decente um patriarca, porém o alcoolismo fez dele este trapo humano. O alcoolismo o fez violento.
Contudo tu deves saber que este trapo é seu pai, que lhe educou para ser útil até conhecer a cachaça.
Era a mim que toda noite violentava, até que recorri à Lei Maria da Penha. Perdeu emprego, memória.
Agora pode vir à praça, trazer a comida, que trago todos os dias.

Toninho

03/08/2017

*****************
Bom fim de semana
com paz.



quarta-feira, 26 de julho de 2017

Velejei em ti.



Olhava-te. O barco partia
sobre águas calmas do mar,
nada via apenas meu olhar
da paixão por ti, que fugia.

nos teus seios nus velejava
a transparência do organdi
sensação, que outrora senti.
é erupção do vulcão a lava.

A onda te devolvia e sorri,
mas a mão não alcançava
no vai e vem senti, eu perdi.

Mas o vento sul já soprava,
e veio como alento. Logo vi,
trazer a musa, que esperava.

Toninho

10/07/2017


**********************

Um abraço especial às vovós e vovôs neste dia 26/07
Também 
Hoje temos aniversário de duas amigas da blogosfera:
Roselia Bezerra e Lucia Haddad
A elas meu abraço e felicidades

quarta-feira, 19 de julho de 2017

A face oculta.





Quem é a mulher atrás de um véu,
que vi desfilar na rua? É tão bela,
que ao pintor inspirou a viva tela,
em linhas delicadas de seu pincel.

O olhar envolvente de pura magia
seduz e inspira desejos excitantes,
no balanço de quadris alucinantes
é puro êxtase, ver a sua travessia.

Quisera não fosse só uma fantasia,
a mulher que atrai-me num sonho,
causa torpor arquiteta da euforia.

Sei que numa noite de entressonho,
a queda do véu virá como sangria,
dos versos da poesia que componho.

Toninho.
02/07/2017

sábado, 15 de julho de 2017

Estado de Solidão.





As lembranças pulsavam na mente.
A vida lhe impôs dura perda e dor.
Hoje solitário e exausto revive tudo,
com descrença vê que tudo terminou.

Toninho
14/072017

Inspiração para BC_umaimagemem140caracteres Mari e Silvana.

*************************
A morte será sempre uma estranha por isso escolhi a musica acima.


Preciso me encontrar (Ouça com atenção a letra) é uma pérola composição de Candeia um homem simples do morro carioca para a musica popular brasileira, que a presenteou ao glorioso Cartola que a eternizou. A musica faz uma reflexão sobre a morte numa forma de desapego.

Um adeus a você menina Helena (Leninha)  http://helena.blogs.sapo.pt/, que tinha como missão trazer crianças ao mundo. Deixa-nos numa saudade, um vazio de sua bela presença entre nós. Apenas com seus trinta e três anos (33), a idade de Cristo, assim partiu em 10/07/2017. Mas antes veio ao meu blog um dia antes e se despediu, sem que eu imaginasse, que era um adeus e não acreditei. Agora vejo uma estrela lá no Céu e vejo que é a Leninha olhando para as crianças, que ela sempre se dedicou, bem como os seus idosos a quem devotava seu carinho e serviços de sua medicina.

Recorte de comentário neste blog
Helena 
9 de jul (Há 5 dias)
para mim
Helena deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Então eu te amei.":

“Toninho, meu querido amigo, vim agradecer por estar sempre lá no meu cantinho, levando-me palavras de incentivo e apreço. E também desejar que tenhas muito sucesso e consigas muitas realizações nesta vida, e que os teus passos sigam no rumo das estrelas, colocando muitos sorrisos no teu caminhar.
Meu carinho,
Leninha “

Leninha eternamente entre nós!


terça-feira, 11 de julho de 2017

Vi teus olhos era lua cheia


















É noite mar revoltoso de lua cheia.
Uma ventania coreografa a dança,
coqueiros bailam, beijo-te a trança,
a praia deserta só a luz de candeia.

Lua espelha o mar, brilha a aldeia.
Vi-te com flores o ritual à Iemanjá,
e o mar serenou pela arte do orixá,
que sentiu pés na areia com a ceia.

Vi-te branca, como flor de manacá.
Nesta noite de luar que incendeia,
há frisson, bem sei como terminará.

Então a lua girou uma volta e meia
ouve-se canto mavioso de um uirá,
¹Uirapuru é sorte. Amei-te na areia.

Toninho
08/07/2017

Nota 
¹ Uirapuru: Seu canto mavioso é longo e melodioso, parecido com uma flauta, só é ouvido no inicio do amanhecer, enquanto constrói o ninho para atrair a fêmea, durante uns 15 dias por ano.

Texto inspiração veio de um convite lá de Lagos em Portugal feito pela Majo no seu blog Vivenciar a vida. Proposta: Olhar a Lua às 22 horas de Brasil no domingo 7/7 e Portugal.




terça-feira, 4 de julho de 2017

Então eu te amei.




Numa noite sem a mínima perspectiva,
via uma lua minguante vagar pelo céu.
Então ela surgiu numa estrela cadente,
envolvida no facho de luz. Seduziu-me,
impregnada no sensualíssimo perfume,
que invadiu meu corpo na madrugada,
nas trincheiras de desvairadas caricias.

Senti nossos corpos abrasados de amor,
deitados sobre a sutil maciez do cetim,
vi os raios solares devassarem a janela,
iluminaram a linda silhueta da deusa.
Mas, nova luz a levou misteriosamente,
na forma de um medonho redemoinho,
que dilacerou todo meu encantamento.

Foi assim com a cabeça nesta maresia,
senti arranhões de suas unhas afiadas,
que sangrei pelo quanto como o zumbi,
recriei a vã esperança de vê-la e tê-la.
Mas o cheiro de solidão fez companhia,
corri até à janela onde se vê o jardim,
Só vi um sabiá a cantar triste lá fora.

Toninho
29/06/2017    
Inspiração em imagem.  

Que sua semana esteja bela
leve alegre.
Neste inverno aqueça uma
pessoa pobre.










sábado, 1 de julho de 2017

O rei ficou nu.




Foi assim, na pratica do jogo sujo,
numa vil e ardilosa impunidade,
o Rei se viu isolado no Xeque-mate.
Então percebeu que o show terminara.

Toninho.
01/07/2017

Participação na BC_#umaimagemem140caracteres projeto de Silvana e Mari conheça e participe.

*******************************
Um bom domingo 
no feliz Julho.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

João valentão.





João é recolhido numa casa de detenção por homicídios. Lila a assistente social o gerenciou na ala dos mecânicos. Sem dados dos pais era um sem teto. Agora sai na condicional para trabalhar. Abre a porta, sorri para Lila, acena com a mão direita.  À noite Lila ansiosa olha para o caminho, para o relógio, eis que João surge na esquina sorrindo com um bonito arranjo de rosas brancas nas mãos. Seria mais uma arte do João?


Toninho

30/06/2017

************************

Minha participação no Desafio de Portugal :Historias em 77 palavras projeto de Margarida 

Desafio: 

Hoje é dia de grande maldade.
Vou dar-vos uma ideia (não precisa aparecer, é só o empurrão de início):
Reencontrou o seu caminho. Saberia segui-lo até à próxima tempestade?
 Pegando neste tema, contem-me uma história em 77 palavras sem usar duas letras…
As letras proibidas são F e V  que tal?

*************************************
Bom fim de semana
para todos.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

A casa das sete janelas.





















Vejo a casa fortaleza de sete janelas,
ali era a moradia das sete mulheres,
isoladas da sociedade como donzelas,
repressão confinamento de cárceres.

Cada janela uma donzela de tranças,
todas douradas como o Sol nascente,
mas uma não me sai das lembranças,
quando passava sorria furtivamente.

A sétima janela é testemunha muda
dos nossos olhares cheios de ternura,
suplicantes aos deuses só uma ajuda
que nos livrassem do fogo da tortura.

Mas a guerra nos separou friamente.
Hoje estas janelas fechadas ao mundo,
selam minha paixão hermeticamente.
Fecho o portão com olhar moribundo.

Toninho

25/06/2017 

Inspiração em imagem da BC.botando a cabeça para funcionar. Projeto da Chica Aqui. Confira/participe e veja outros participantes.

***************************
Semana de paz
para você.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Uma noite assim.




















Na taça sobre a mesa jorra saudade,
que sorvo na noite sem a esperança.
Beijo a borda da taça na ansiedade,
como Sócrates na cicuta fez aliança.

A garrafa testemunha meu padecer,
ora tomba e despeja outra dose fatal,
que a boca se delicia em puro prazer,
de quem se entrega ao mundo irreal.

Sobre a mesa alumia o velho lampião,
que a mariposa está preste a suicidar,
nem imagina minha dor na decepção,
ver inúteis batidas de asas para voar

Mas a garrafa declina-se sobre a taça,
derrama fumegante a derradeira gota.
Olho para a foto no sorriso sem graça,
a luz se apaga, ouço batidas na porta.


Toninho
20/05/2017

Inspiração em fotografia.
coincidência 30 dias após.


*****************************

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Enamorando a Lua Cheia.



Meus olhos que a tudo assistem encantados,
levam-me para uma viagem pela transição
da noite para o dia com as lembranças sutis,
de um tempo feliz de uma vida interiorana
quando via sumir a Lua numa serra negra,
e o Sol surgir por entre arvores gigantescas.

As mariposas já se recolheram às arvores,
outras já se suicidaram junto às lâmpadas.
De minha janela vejo vir um Sol bocejante,
para substituir a esta Lua cheia seresteira,
já exausta da sua permanecia inspiradora,
dos notívagos poetas das madrugadas frias.

Ultimas luzes sistematicamente se apagam,
sobre as ruas já em movimentos acelerados.
Lanço o meu olhar por entre arranha-céus,
ainda vejo a Lua desaparecer num infinito.
Lá no horizonte azul como uma bola de fogo
o Sol dourado desponta enamorado pela Lua.

Toninho.
15/06/2017

Minha participação na BC_botando a cabeça para funcionar que a Chica promove todos os dia 5. 15 e 25. venha participar na leitura da imagem 

**********************************************
Um bom feriadão para você.


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Voa coração.















Eu teimo em seguir meu coração,
que nada sabe destas artimanhas,
que pela vida entre o sim e o não
do beija-flor às flores nas manhãs.

Vai coração cantarolar a canção,
que fala dos amores já esquecidos,
no poema inspirado na desilusão,
com versos melancólicos esvaídos.

Vai coração pelos jardins floridos,
espalhe sobre folhas secas sua dor,
como anjinho do coração de Cristo
arranca espinhos, implanta a flor.

Ah, coração que não se sintoniza,
com meus lamentos nesta agonia,
saber que, o que esboça a pitonisa,
voa nas entrelinhas desta poesia.

Toninho
20/05/2017

******************************
Tem sempre coisas novas lá Mometos e Inspirações