Páginas

sábado, 27 de maio de 2017

Pena de Talião.













Aqui onde tudo se plantava e florescia,
na terra boa umedecido solo tão gentil
prolifera-se ervas danosas e velhacaria,
esmagam e dilapidam o querido Brasil.

Nesta terra perde-se na busca do ideal,
as pessoas brigam se matam por cores
no vermelho e verde amarelo desigual
com espaço aos infiltrados saqueadores.

Tudo que se sonhou um dia, jaz morto.
Sonhos mortos nas entranhas da nação.
ao despertar-se de sono no desconforto,
da indecente manobra da constituição.

Não temos cravos na mão da donzela,
que em Portugal enfrentara o canhão.
Políticos usurários cobertos por tutela,
a livra-los do rigor da pena de Talião.

Toninho

23/05/2017
Tem brincadeira lá:Momentos e inspirações

**********************
A todos um bom
fim de semana.
***********************************

21 comentários:

  1. Tantas verdades nessa tua bela poesia. Nossos sonhos nesse país querem e se esforçam pra matá-los...Tudo uma parafernália e nada se decide...Credo! LINDA!abração praiano,chica

    ResponderExcluir
  2. UN GRITO MUY CRÍTICO Y REFLEXIVO. EXCELENTE TEMA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  3. Boa noite caro amigo Toninho ,um momento que certamente reflecte a dor de um povo que infelizmente é sempre quem sofre mais ,mas podemos certamente culpar estes políticos ,mas também lhe digo que o povo não pode passar imune sem ser responsável das suas próprias escolhas que faz e que depois se reflectem mais tarde , estou a falar dos deputados que aparecem e ganham eleições só por serem famosos ,eu pergunto que sabe um jogador ,um artista etc para poder reger um município ou ser deputado federal ,certamente ai o povo erra ao colocar uma pessoa por ser famosa ou pela cor politica ,enquanto o povo não tiver noção que o voto deve ser exercido com consciência o reflexo é esta classe politica aproveitadora e falta de princípios ,pois uma casa se constrói por baixo e na politica começa-se pelas bases e elas devem ser ocupadas por pessoas que sejam acima de tudo honestas e com formação para o cargo que vão exercer ,um cargo que deve ser exercido para servir o povo e nunca para se servir a si próprio,peço desculpa fugir ao seu poema ,mas sinto que a politica tanto no Brasil como aqui em Portugal mete nojo ,eu há muito que deixei de acreditar na classe politica ,enquanto não forem todos responsabilizados pelos erros que fazem as minhas escolhas traduzem-se em voto branco ,mas estranhamente o povo continua errando nas escolhas ,embora este presidente não tenha sido eleito pelo povo é tudo um amontoar de erros que surgem de baixo para cima ,um grande abraço e mais uma vez peço desculpa pelo desabafo.

    ResponderExcluir
  4. Um poema e a trilha sonora que traduzem a que reduziram nosso país! Há um "propinoduto" instalado em nosso Brasil! Infelizmente!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Este teu poema, Toninho, "Pena de Talião", é um tapa na cara dessa gente indecente, mais de mil políticos comprados pelos irmão Batistas, que fizeram suas delações sobre políticos criminosos, dos quais são comparsas, e mesmo assim saíram livres com suas famílias para Nova York. Este teu poema, Toninho, é um tapa na cara de membros do Congresso Nacional, do Presidente da República e do Supremo Tribunal Federal. Bravo, poeta!
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Toninho, as tuas aflições são minhas também. Mas ainda tenho esperança. Na minha idade, ou esperança ou morte. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Um mundo que não se deseja e um belo alerta poético!!! Bj

    ResponderExcluir
  8. Poeticamente falou e desabafou, com versos tocantes, Toninho!
    Sim, clamores pelo nosso país...
    Abração e bom domingo...
    Agora já em casa. Obrigada pelo carinho nos comentários da viagem.

    ResponderExcluir
  9. Impressiona e magoa o que se está a passar no Brasil. O seu poema, Toninho, é um grito de alerta... Tenho esperança que tudo se recomponha...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Verdade, o mundo parece que quanto mais o tempo passa, mais longe da boa sensibilidade, esqueceram o cheiro da terra, da gentileza, o mundo está sem amor, parabéns pela linda poesia...

    ResponderExcluir
  11. Seu grito ecoa longe, Toninho, a coisa está tão dramática que não conseguimos ver ainda uma luzinha no fim do túnel! A porcalhada está demais, cada dia aparece um ladrão, uma falcatrua, um verdadeiro conto de terror. Acho que alguém tinha que descobrir o Brasil novamente!! Isso que estamos vendo deveria ser enterrado junto com todos os metralhas.
    Beijo, querido poeta.

    ResponderExcluir
  12. Querido amigo Toninho,
    Que a pena de Talião
    Seja uma mera expressão,
    Pois o correto caminho

    É o da justiça é o alinho
    Para julgar o ladrão.
    Porque veja - queiram ou não
    Puseram fogo no ninho

    Ou gigantesco covil:
    Cada político vil
    Há de ir para a cadeia!

    E viva a Pátria Mãe Gentil!
    Viver é ver o Brasil
    Não mais por Nação alheia.

    Correta indignação, amigo! Quem poderá nos salvar? Por certo não será o Chapolin Colorado! Surgiu um iluminado que fez escola e não tem mais retrocesso. Todas as máscaras haverão de cair como já caiu de elementos presos do judiciário. Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  13. Linda poesia que grita a indignação deste momento de horror que estamos vivenciado. Cadê a justiça????
    bjs Boa semana

    ResponderExcluir
  14. Lindo demaais e para se refletir,querido amigo Toninho.

    Você conseguiu poetar em cima desse caos que se encontra nosso país!Revoltados estamos e esperando,com fé em Deus que saiamos desse abismo!É um poeta e dos melhores!

    Vim agradecer sua visita a meu espaço e desculpar-me pela demora de minhas vindas aqui.

    Estou somente com celular,sem computador e tudo fica difícil e pequeno.Daí vou retribuindo aos poucos.Notei que perdi seguidores e fiquei triste!

    Volte sempre porque meu blog está ativo e sempre com novos posts.
    Postar aprendi a fazer pelo celular!

    Beijos sabor carinho e e semana coberto de bênçãos!

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
  15. Oi amigo,
    Os canaviais estão matando a terra, que daqui a alguns anos nem cana da mais.
    A vida hoje é diferente, é fria.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  16. Toninho
    eu já nao apreciava vestes na cor vermelha, hoje em dia nem uso mais.
    E também eu era um verde amarelo de esperança, hoje a minha bandeira jaz numa gaveta esquecida.
    Esquecida pela vergonha , ou melhor , pela falta de vergonha de quem reina poderoso e esquece da morte. Sim, a morte ! Por que olho por dente não funciona mais. Melhor é morrerem todos !

    adorei seu poema que toca nossos corações . Corações de brasileiros cansados . Antes eram as precariedades, agora são a imoralidade de todos os que reinam nesse país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. corrigindo: agora é a imoralidade
      ( é que eu ia elencar vários adjetivos, mas fiquei só na imoralidade )

      Excluir
  17. Nem sei o que diga, Toninho!...
    O poema está soberbo... apenas é lamentável o estado de desilusão generalizado, a que tudo chegou por ai, em tão pouco tempo, quando ainda há não muitos anos atrás a economia do Brasil, parecia estar florescendo, e tudo parecia no bom caminho...
    Esperemos que o bom senso, a vergonha na cara, e mais alguns valores, voltem a fazer parte da classe política, do Brasil...
    Há que manter a esperança, de que dias melhores cheguem...
    Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir
  18. É triste ver o nosso Brasil contornado por tamanha corrupção, por políticos que não olham para a coletividade, para os anseios e o bem do povo. Só Jesus na causa para nos livrar dessa corja de sem futuros, de golpistas, todos sacanas! Abraços amigo!

    ResponderExcluir
  19. Excelente poema de intervenção, estimado Toninhobira!
    É verdade, o Brasil é lindo na sua enorme variedade de climas, micro-climas, flora e fauna e é realmente doloroso e pungente verificar quanta maldade andaram semeando, conspurcando o que a natureza prodigamente ofereceu.
    Zanguei-me algumas vezes com a Cris Pavanni por ela andar a comer casca de banana, tão fibrosa que até os macacos deitam fora... Ela falava dos problemas dos resíduos no Brasil, ao que eu respondia que esse problema do Brasil não era problema de S João da Boavista e acrescentava que a tal casca é biodegradável, que deveras importante era procederem à separação dos resíduos e que enquanto ela poupava trabalho municipal, os políticos enchiam os bolsos... agora prova-se que eu tinha razão...
    Em Portugal, eles também possuem imunidade parlamentar que a maioria dos cidadãos não apoia... Concordo consigo - a justiça tem de ser igual para todos, seja quem for!
    Porém, há que ter esperança, depois da maior tempestade, chega sempre a bonança.
    Esta canção e a voz notável de Milton Nascimento combinaram muito bem com o seu
    poema que nos fala tanto do seu carácter íntegro e vertical.
    Querido Amigo, terno abraço solidário e confortante... a onda de tornados vai passar e dar lugar a um país novamente abençoado.
    Beijos de muito afeto.
    ~~~

    ResponderExcluir
  20. Toninho
    um poema de intervenção, realista e que me causa muita tristeza, ao ver um País como o vosso estar a a passar por tantos problemas.
    vamos ter esperança...e esperar que tudo melhore
    um beijinho
    :)

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.