Páginas

domingo, 24 de setembro de 2017

Assim ela Chegou















Assim que a vi chegar floridamente,
ainda com os ventos frios do inverno,
vi um beija-flor bailar divinamente,
com olhos vestidos do amor materno.
vi o Céu vestir-se azul. É primavera.

Ouvi dos fios cantos dos passarinhos.
Vi no verde das árvores a elegância,
que é o abrigar nos galhos os ninhos,
às vezes destruídos pela ignorância.  
     
Da janela ouvi o canto do Bem-te-vi,
na sua caçada aos insetos do jardim,
onde a roseira vermelha volta florir,
senti daqui perfume do belo jasmim.

Viajei pelo campo da velha infância,
lá recolhia para mãe flores amarelas,
dos ipês que floriam em exuberância,
que no domingo enfeitavam a capela.


Toninho
22/09/2017

***************************
Feliz Primavera
no seu coração.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Se não houver amanhã II.




E se não houver o amanhã real?
Se não houver flores no jardim?
Sem as frutas doces pelo quintal
os passarinhos cantarão enfim?

Apaga-se do rosto nosso sorriso,
fica aberta uma velha cicatriz,
que sangra e me rouba o juízo.
Alucinarei num velho chafariz.

Viver-se-á assombrosa ausência,
nos porões sombrios do infinito
com sentimento de impotência,
perante a solidão como um rito.

Pois que o amanhã fica distante,
e olha, o que não mais te alcança
perde-se o encanto neste instante
num inatingível passo da dança.

Toninho
20/06/2017

************************
Creio que esta inspiração seja reflexo do livro: 
"Não verás país nenhum" (Ignácio Loyola Brandão) lido nos anos 80


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Sentimentos aflorados.



Luci naquela manhã acordou sorrindo ninguém viu, andou pelo quarto abriu a janela voltada para o mar, o dia estava azul e um Sol radiante no horizonte, que fez da manhã a mais linda das manhãs daquele Setembro.

Luci estava sobre efeito do encantamento hortênsia, que num sonho lhe veio num lindo buquê com umas iniciais FMAF. Sentou-se na varanda, olhou para o jardim, onde um beija-flor bailava no bebedouro com agua adocicada ali colocada todos os dias.

Nos seus olhos brilhavam as hortênsias do sonho e pensava curiosa com as iniciais. Por instante imaginou ser real, correu até a cozinha, onde apenas a secretaria Joaninha cuidava do café matinal com um bolo de laranja, que acabava de sair do forno. Questionada disse, que não apareceu ninguém na casa, nem flores foram entregues.

Luci voltou ao quarto, procurou seu livro de sonhos, que herdara de sua mãe. Folheou apressada na busca de uma resposta. Lá estava que receber buquê de hortênsias significava predição que terá muitos admiradores. Sorriu e fechou o livro e colocou de volta na gaveta. Voltou para a cozinha para saborear o bolo de laranja.

Ao sair para a universidade, parou no posto de gasolina perto de casa, quando já saia, um garoto nunca visto por ali lhe entregou um cartão de visitas. Jogou no porta-luvas como sempre fazia. Ao voltar da escola, abriu o porta-luvas para ver o cartão colorido e levou um susto. Uma lagrima caiu na sua mão. Estava escrito no cartão: ofereça flores para ela Floricultura Mamãe Adora Flores Ltda. Era nova a loja por ali, foi lá e silenciosamente comprou um buque de hortênsias, e seguiu para o cemitério onde a mãe jazia.


Toninho
15/09/2017 


Minha participação na BC_botando a cabeça para funcionar. Projeto da Chica aqui: chicabrincadepoesia


***********************
Bom fim de semana
para você,


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Verso pronto.



O teu sorriso será minha poesia,
em versos rebuscados lapidados,
numa inspiração feliz da elegia
daqueles poetas bem iluminados.

Que será a poesia na inspiração
linda como no pântano os lírios.
Como uma flor branca do sertão,
o mandacaru, como um colírio.

Ocultas tua face, na boca o doce
encontro. Nas entrelinhas beijo.
Misteriosa que em mim és posse,
desvendados segredos e regozijo.

Bem que te vi vir na elegância,
na rima romântica e sedutora,
tive delírios, ardi febril, ânsia,
o beijo da mulher encantadora.

Toninho
14/07/2017

*************************
*****************
******
Semana feliz
para todos.



terça-feira, 5 de setembro de 2017

Sob um Céu de brigadeiro.



A Chica em sua BC_botando a cabeça para funcionar de hoje enviou esta imagem para livremente escrever sobre ela. Conheça e participe, eu viajei pelas coisas do sertão que meus olhos viram e gravaram e ofereço mais estra prosa. Visite e veja outras leituras chicabrincadepoesia




















Quando o Céu se veste em brigadeiro,
parece que para o tempo lá no sertão,
nem os répteis se arriscam no terreiro,
pois o sol parece, derreter aquele chão.

Debaixo da ultima arvore ele se deita,
na sua rede feita pela velha fiandeira,
mas fica sempre atento numa espreita
de ver uma nuvem negra na capoeira.

Sinal de chuva é festa para o sertanejo,
castigado pela seca vive de alucinação,
ali na rede na cabeça vive um só desejo,
da chuva que inunde o açude da região.

Assim que adormece, vive de um sonho,
um chuveiro que jorra agua milagrosa,
quando cai uma gota que o faz risonho,
livre dos pensamentos da vida dolorosa.

Da porta a mulher com carinho o espia,
e sabe que pode ser um delírio sonhador,
deste bravo sertanejo perante a carestia,
sob um céu de brigadeiro esquece a dor.

Toninho

05/09/2017

***********************
05 de Setembro
Hoje Dia da Amazônia



domingo, 3 de setembro de 2017

Vi num cais.



Vê os barcos bem alinhados no cais,
vêm desejos de partida. Há emoção,
encontro furtivo na margem oposta
desesperança desencontros do amor.

Os movimentos das marés embalam,
barcos inertes alinhados ancorados,
na ilha da fantasia ânsia, corrosiva,
vem numa espera saudosa oxidada.

Há o olhar translúcido na distancia
a vasculhar pela silhueta feminina,
desde o sol nascente ate o por do Sol,
na espera inútil da mulher no barco.

Quando a noite enfim cobre a terra,
no peito solitário entoa uma canção,
vem lhe a imagem da bela Janaina,
sob luz do farol um barco aproxima.


Toninho
05/08/2017

*************************
Setembro feliz
para todos.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Trem da cores
















La vem o trem da terceira estação,
Ouço seu apito, sinto pelo perfume,
um vento frio leva as folhas secas
renova-se esperança, refaz o amor.

Toninho

01/09/2017


Minha inspiração para BC_#umaimagemem140caracteres de Mari e Silvana
*****************************
*******************
*********
A todos vocês um Feliz Setembro 
com uma Primavera no coração.
Que façamos o melhor
pelo planeta.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Flores de minha espiritualidade.


Vem de Pessoa:

Coroai-me de Rosas (Fernando Pessoa - in "Odes" )

Coroai-me de rosas, 
Coroai-me em verdade, 
De rosas — 
Rosas que se apagam 
Em fronte a apagar-se 
Tão cedo! 
Coroai-me de rosas 
E de folhas breves. 
E basta.          

********************************************************************
Comemoração dos 8 anos do blog Espiritualidade da Rosélia aqui idade-espiritual ofereço esta inspiração abaixo à esta amiga. Meus parabéns Rosélia por estar entre nós com sua fé e estimulo à espiritualidade.

Vem de Toninho















Corre em mim o rio, rega a esperança,
que deságua sobre minha fé florescida,
flores sem espinhos, ódio ou vingança,
numa elevação que colore minha vida.

Recrio o jardim nas flores que ofereço,
pelos meus caminhos bem aventurados,
espalho o bem, o coração tem endereço.
Há flores em mim sinto me abençoado.

Ainda que seja árduo vivo o intervalo,
pelas forças divinas florescidas pela fé,
coroa-me numa gentilezas como regalo
que me sustenta diante da baixa maré.

É possível ser eternamente primaveril,
e sereno como Jesus na Oitava estação.
Embriagar-me-ei sob uma coroa sútil,
sutilmente posta para minha elevação.

Toninho
27/08/17

*********************************
*********************
************
******
Feliz Semana
para você.



sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Pegadas para o tesouro.



Vi uma menina correr pela areia da praia. Encantada com sua sombra buscava prende-la, mas notava que corria e parava com seus movimentos, era linda a cena da menina em sua inocência.

De longe admirava sua destreza e equilíbrio numa areia, que já se sentia quente para uns pezinhos de pele tão fina e assim fiquei a filmar a menina e sua sombra deslocando pela praia, ela não demonstrava medo da sombra que brincava com ela, era toda curiosidade.

Percebi que próximo havia uma mesa com algumas pessoas para onde a menina sempre olhava e sorria. Notei que eles faziam gestos para a pequenina, que sorria e corria ainda mais na caça à sombra, era tudo um misto de ternura e vigilância daqueles, que estavam à mesa.

De repente notei que ela esquecera sua sombra. Vi que ela estava pisando nas pegadas deixadas sobre a areia. Ela pisava em cada uma como se soubesse brincar de Amarelinha. A menina parava em alguma das pegadas e olhava a do lado e mudava de pisada, de longe parecia que procurava um tesouro, pois se agachava e ficava minutos olhando e depois seguia outras.

A menina corria de pegada em pegada às vezes caia sentada, mas não chorava e os olhos da mesa esperavam a reação e ela levantava e seguia na sua busca pelo tesouro. Eu de longe já tinha certeza disso.  Com as pegadas se aproximando da mesa, notei que seu sorriso era mais estridente em sintonia com a festa do pessoal da mesa, quando alguém da mesa gritou:

_Vem Marina corre para vovó e vovô!

Assim foi que pisando nas ultimas pegadas, deu uma corrida mais veloz, pois a areia já esquentava seus pezinhos  e pulou nos braços da vovó, que fora ao seu encontro saindo de um sombreiro com uma mamadeira com agua gelada. Então vi que as pegadas, a levara para o seu precioso tesouro, que eram seus avós.

Toninho
25/08/2017  

Inspiração para o projeto Botando a cabeça para funcionar da amiga Chica com inspiração livre na imagem acima. Conheça e participe.

Um bom fim de semana
para você.


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Gestação de Primavera.















Sob a sombra descansei.
Adormeci acordei velho.
Sob os pés as folhas secas
Da arvore agora despida.
Despi fantasias do verão.
Serei Primavera.

Toninho

18/08/2017

Minha participação na BC_#umaimagemem140caracteres de Mari e Silvana em toda Sexta-feira.

**************************
**************
***********
Outras inspirações na imagem:

I
O vento desnuda as arvores,
as engravida de primavera.
Linda gestação da natureza.
O banco acolhe as folhas secas,
que o bronze inerte observa.

II
Tapete na praça.
Vestígios do Outono_
Árvores nuas.

III
Árvores despidas numa praça,
O bronze retrata um passado,
dos heróis na Inércia de vidas,
O banco se vestiu de amarelo.


Toninho.

Bronze: referencia às estátuas e bustos colocados em praças.
II é um Haicai.





terça-feira, 15 de agosto de 2017

Parada da fé.





Todos os dias por aquele caminho via passar umas crianças pobres do lugarejo das Duas Pontes, seguiam felizes cantavam canções, que aprenderam com seus pais. Era um caminho de pedras soltas no sopé de uma serra, várias vezes cortado por um regato, onde troncos de madeira serviam como rudes pontes.

No meio destas crianças tinha uma menina, que se destacava pelas longas tranças douradas, era muito clara e franzina, parecia doente. Muitas vezes parava pelo caminho como a recuperar a respiração, mas sempre apoiada pelos amigos, conseguia vencer a distancia para chegar até à escolinha numa fazendinha, onde a filha do fazendeiro alfabetizava as crianças daquela região.

Um dia da margem do regato onde pescava, vi o grupo de crianças, seguiam silenciosas na rotineira caminhada de volta para suas casas. Intrigado e curioso gritei para saber da falta da menina, a de tranças longas. Um garoto me observou e olhou para o céu dizendo, que ela foi morar com Nossa Senhora. Fiquei mudo e emocionado e baixei os olhos.

Algum tempo passou, voltei àquele lugarejo como de costume, para dias de folga longe da cidade e junto à natureza, pois lá morava minha avó. Numa manhã de volta da pescaria, notei que havia uma gruta bonita junto a uma nascente onde as crianças paravam para beber água. Percebi uma linda imagem de uma santa com manto azul.

Em conversa com a avó, soube que ali num dia após forte temporal, várias pedras deslizaram da serra, no momento que as crianças passariam, mas que uma forte luz surgiu na frente deles e no meio da luz, a figura de uma menina de trança com braços abertos os impediu de seguir, justamente quando as pedras no caminho. Desde aquele dia as crianças colocaram aquela imagem de Nossa Senhora na gruta.

Agora os moradores do lugarejo passam pela gruta e se benzem. Outros levam a água em garrafinha, pois creem num milagre de Nossa Senhora a pedido da menina franzina de longas tranças douradas.  Já as crianças todos os dias param junto à gruta, cantam o que a menina mais gostava , depositam flores brancas. E seguem na feliz cantoria, pois acreditam piamente, que no céu alguém cuida delas com carinho.

Toninho
15/08/2017 

Inspiração para a BC_botando a cabeça para funcionar projeto da Chica nos dias 5, 15 e 25. Conheça e viaje na imagem aqui: chicabrincadepoesia





quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Saudades lá do mato



Eu canto com amor a saudade,
na mistura de coisas, de gente,
o cheiro de mato cá na cidade,
inebria-me de forma crescente. 

Trouxe as alegrias dos sonhos,
às vezes um medo incendiado,
em ouvir os contos medonhos,
mania de menino no povoado.

Eram noites à beira do fogão,
família reunida na harmonia.
Mingau fervia num caldeirão,
som de rádio é viva nostalgia.

A lembrança aqui transborda,
como a letra de samba enredo,
a emoção que sempre acorda,
é revelação de algum segredo.

Isto é o saudosismo, ora dirão,
que não se escode pelos versos,
nem entrelinhas no diapasão,
afinam esta saudade do berço.

Toninho
28/07/2017

*************************
Sempre grato com 
sua visita.
Um bom fim de semana

sábado, 5 de agosto de 2017

Depois da chuva



Fim de um temporal devastador,
águas pelas ruas como um riacho.
De minha janela como espectador
olho desolado, escapa-me o diacho.

Arvores caem sobre carros e fios.
cidade se desliga black-out geral.
Cenas reprisam os anos anteriores
revelam a inoperância municipal .

Ouço sirene ambulância em ação,
em sinfonia com o carro bombeiro,
são eles bravos anjos da salvação,
o perigoso jogo da vida pela vida.

ao longe uma fusão bela de cores
rouba-me o olhar com o arco-íris
viajo nas suas linhas multicolores
fuga da dor por um triz sou feliz.

Toninho

05/07/2017
Minha participação para a BC_botando a cabeça para funcionar projeto da Chica e seu neto Neno confira as inspirações chicabrincadepoesia

**************************
Grato.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Um trapo humano.





Desafio nº 121 com 77 palavras. Um projeto de Portugal em parceria coma a Radio SIM Crie uma historia.  http://77palavras.blogspot.com.br/ Conheça e participe. Crie uma historia sendo:

O início de 3 frases que aparecem no vosso texto está aqui, o resto é livre. 
Podem usá-las pela ordem que quiserem.

1-  Era a mim que...      
2_ Contudo, tu...        
3- Talvez não saibas...


Talvez não saibas, mas aquele homem na praça era pessoa decente um patriarca, porém o alcoolismo fez dele este trapo humano. O alcoolismo o fez violento.
Contudo tu deves saber que este trapo é seu pai, que lhe educou para ser útil até conhecer a cachaça.
Era a mim que toda noite violentava, até que recorri à Lei Maria da Penha. Perdeu emprego, memória.
Agora pode vir à praça, trazer a comida, que trago todos os dias.

Toninho

03/08/2017

*****************
Bom fim de semana
com paz.